Total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Lançamento - "Sustentabilidade como Fonte de Inovação", o novo livro da Plataforma Liderança Sustentável

“Sustentabilidade como Fonte de Inovação – Oito entrevistas com líderes que estão criando o futuro no presente” é a sexta publicação da Plataforma Liderança Sustentável, que busca registrar os principais insights de líderes sustentáveis para inovar com sustentabilidade.

O livro é dividido em duas partes. Na primeira parte, mais teórica, o leitor encontra reflexões sobre a necessidade – e os desafios – de inserir os valores da sustentabilidade nos processos de inovação das empresas, tanto no sentido de incrementar tecnologias com recursos que potencializem resultados socioambientais quanto no de produzir inovações disruptivas. Além disso, Voltolini apresenta um panorama de iniciativas criativas e sustentáveis desenvolvidas ao redor do globo, desde um sistema que converte restos de comida em biogás e a película plástica que pode dispensar o uso de solo para cultivo de plantas, reduzindo em até 90% o uso de água e em 80% a aplicação de fertilizantes.

Na segunda parte, o livro registra histórias de grandes companhias –identificadas e selecionadas após longo processo de pesquisa – que vêm se destacando no tema da inovação para a sustentabilidade. Os cases são relatados em entrevistas com os líderes dessas organizações: Walter Dissinger, CEO Global da Votorantim Cimentos, aborda o desenvolvimento do cimento pozolânico, alternativa ao produto convencional, que reduz em 50% as emissões de CO2 e em 40% o consumo de água; Luciano Guidolin, vice-presidente da Braskem, comenta os desafios ligados à produção do plástico verde, feito a partir da cana-de-açúcar, que, em seu processo produtivo, captura CO2 da atmosfera em vez de lançar.

Ralph Schweens, presidente da BASF para a América do Sul, e Pedro Suarez, presidente da Dow, tratam da necessidade de tornar a indústria química mais sustentável, por meio do engajamento de stakeholders nos processos de inovação; Armando Valle Jr, vice-presidente de Sustentabilidade da Whirlpool, explica como a empresa aplica o conceito de Design for Enviroment para desenvolver geladeiras e fogões mais ecoeficientes.

Já Anielle Guedes, de 23 anos, fundadora e CEO da startup Urban 3D, fala sobre como pretende balançar as estruturas da tradicional indústria da construção, imprimindo casas de forma mais rápida, limpa e barata. Jorge Lopez, presidente da 3M, discorre sobre a implantação do conceito de sustentabilidade como condição para o desenvolvimento de inovações da companhia, que possui mais de 55 mil produtos em seu portfólio. Por fim, Roberto Lima, CEO da Natura, menciona a cocriação como diferencial inovador da empresa para promover impactos positivos nos âmbitos social, econômico e ambiental.

Sustentabilidade como Fonte de Inovação, assim como os demais cinco livros de Ricardo Voltolini, faz parte do conjunto de ferramentas educacionais da Plataforma Liderança Sustentável, movimento de gestão de conhecimento em sustentabilidade, que visa inspirar e educar jovens líderes para o tema. Os livros ainda se somam a um acervo de vídeopalestras com líderes sustentáveis, assim como a um portal com vasto conteúdo, disponível para qualquer pessoa que queira saber um pouco mais ou ensinar sobre sustentabilidade empresarial.

O livro já está à venda e sai pelo preço de R$60,00. Para adquirí-lo, entre em contato através do e-mail leticia@ideiasustentavel.com.br ou do telefone (11) 5579-8012.


Fonte: Ideia Sustentável

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Empreendedores terão que pagar perícia que verificará dano ambiental em Mata Atlântica

PRR3 defende que cabe aos responsáveis por empreendimento no entorno do Parque Burle Max, na capital paulista, provar que não causou degradação


Os empreendedores imobiliários que planejam construir torres residenciais ao lado do Parque Burle Max, na Zona Sul da capital paulista, terão que pagar antecipadamente os honorários periciais para que se verifique a ocorrência de danos ambientais em reserva da Mata Atlântica onde pretendem viabilizar o projeto imobiliário. 

A decisão é da 3ª Turma do Tribunal Regional Federal (TRF3), que negou recurso da Camargo Correa. A construtora é uma das rés da ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF) para reparação de danos ambientais na pequena floresta no entorno do parque. 

Até recentemente a regra processual era de que os custos para constituir provas num processo deveriam ser assumidos pela autora da demanda. Entretanto, a Procuradoria Regional da República da 3ª Região (PRR3) sustentou que “a inversão do ônus da prova em demandas ambientais justifica-se em razão da vulnerabilidade do meio ambiente e da coletividade”. Além do mais, afirmou que, com o novo Código do Processo Civil, “o que já era admitido na doutrina e na jurisprudência e, em especial nas ações coletivas, passou a sê-lo também nas demais ações”. 

O procurador regional da República Sérgio Monteiro Medeiros sustentou ainda que o juiz pode atribuir os custos da perícia ao réu em razão do “princípio do poluidor-pagador, da precaução e da prevenção”. Ou seja, aquele que cria ou assume o risco de danos ambientais tem o dever de reparar os danos causados e fica ao seu encargo provar que sua conduta não causou dano ao meio ambiente.

O desmatamento da área, para a construção de 56 torres residenciais, foi interrompido por liminar, a pedido do MPF. Com uma área de 85 mil metros quadrados, a reserva de Mata Atlântica fica vizinha ao Parque Burle Marx. Um dos empreendimentos está projetado para a área que fica em frente à entrada principal do parque, na Avenida Dona Helena Pereira de Moraes. 

Em setembro de 2014, em vistoria na área, o MPF e o Ibama constataram desmatamento sem autorização dos órgãos ambientais competentes, árvores danificadas e mortas e solo exposto. Na pequena floresta há árvores nativas típicas paulistanas praticamente desaparecidas da malha urbana, árvores frutíferas com mais de 60 anos, avifauna, répteis e vestígios de pequenos mamíferos, dependentes dos alimentos proporcionados pela Mata Atlântica. 

No recurso, a Camargo Correa também havia contestado a antecipação dos honorários periciais, porém a PRR3 sustentou que por ser uma das maiores construtoras do país é “claramente indiscutível a sua capacidade econômica de arcar com o adiantamento dos honorários periciais”. “O custo, rateado com os demais réus privados, será provavelmente irrelevante para uma construtora desse porte”, afirmou Sérgio Medeiros.

Ao negar provimento ao recurso (agravo de instrumento), a 3ª Turma do TRF3 seguiu o entendimento da PRR3, considerando “razoável e proporcional” a inversão do ônus da prova, a fim de que os réus provem não ter havido danos ambientais na área.

Processo
0012905-56.2016.4.03.0000

Acórdão


Fonte: Ascom da Procuradoria Regional da República da 3ª Região - SP

Campanha Todos pela Água integra Jornada Cientifica no Colégio dos Bombeiros

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) participa nesta quarta-feira (28) da 6° Jornada Científica do Colégio Militar do Corpo de Bombeiros, que traz como tema "A água como fonte de vida". O evento irá mobilizar os alunos do 6° ano do ensino fundamental ao 3° ano do ensino médio a trabalharem todos os aspectos possíveis da água, desde o cuidado com o uso consciente até os impactos causados pela seca no Estado.

De acordo com o assessor de comunicação do colégio, major Walter Oliveira, os alunos irão abordar a temática na literatura, pintura, fotografia, teatro e dança. "Eles irão escolher uma nuance do tema principal e trabalhá-lo da forma que preferirem. Terão um professor para orientá-los. Será um trabalho dentro dos moldes acadêmicos", explica o major.

Ainda segundo o major Walter, o objetivo é fazer com que os alunos sejam os próprios fiscais do uso consciente da água. "Eles estão vendo como está a situação no nosso Estado. Tiraram fotos de açudes secos para suas apresentações. Somando isso ao trabalho lúdico da Cagece com o teatro de bonecos dentro da jornada, a expectativa é que esses jovens ajudem no combate ao desperdício", ressalta.

Além do teatro de bonecos que traz os personagens Pingo, Gota e o mascote Artur, a Cagece vai atuar durante a jornada, no período da tarde, às 15h, com equipes educativas que distribuirão material da campanha "Todos pela Água" e também irão tirar dúvidas a respeito do assunto e dar dicas de economia.

Conforme a Gerente de Responsabilidade e Interação Social da Cagece, Robervânia Barbosa, a receptividade dos jovens para com o tema é excelente. "É um público antenado e que trabalha a temática da água de forma transversal em suas disciplinas. Mas ainda precisamos do despertar para a mudança de atitude no trato com a água", ressalta.

Para o major Walter, um trabalho feito em uma escola precisa estar relacionado à realidade dos alunos. "E eles estão vivenciando uma seca neste momento atual. Quero que daqui a um ano ou dois, mesmo com uma boa quadra chuvosa, essa preocupação com o uso consciente da água permaneça", pontua. 

Serviço:
6° Jornada Cientifica do Colégio Militar do Corpo de Bombeiros
Quando: Quarta-feira (28)
Horário: 8h às 17h
Local: Colégio Militar do Corpo de Bombeiros (Rua Adriano Martins, 436, Jacarecanga)
 
Fonte: Ascom da Cagece

Fortaleza - Abrigo São Lázaro precisa de ajuda para prestar assistência a animais carentes

A Coluna Eco News abraça a campanha para ajudar o abrigo São Lázaro e divulga os dados para quem tiver interesse em colaborar:


QUALQUER DOAÇÃO É VÁLIDA!!

QUE QUISER AJUDAR, FAVOR ENTREGAR FAZER DEPÓSITO EM CONTA:

Titular: Organização Não Governamental São Lázaro
CNPJ:13043465/0001-71
Banco 104 Caixa Econômica Federal
Agência: 0619
C/c: 3054-6
OP: 003 - Conta corrente de pessoa jurídica

Sustentabilidade - Tecidos artesanais dão origem a calçado desenvolvido pela Insecta Shoes em parceria com a Daterra

A Insecta Shoes, marca de calçados sustentáveis e 100% veganos, acaba de trazer mais uma novidade. Em parceria com a DaTerra, projeto nordestino conhecido por produzir tecidos artesanais a partir do excedente da indústria têxtil de jeans, valorizando a educação sustentável e o fortalecimento da arte e da cultura local, a empresa incluiu em sua linha Oxford o modelo feito com tecido elaborado todo a mão a partir da junção de ourelas de jeans.

Assim como os demais produtos da Insecta Shoes, o calçado conta com palmilha feita em formato de colmeia, que garante conforto extra, revestida em tecido sintético. O calcanhar também recebe mais espuma, e a sola é de borracha reciclada, super maleável e molinha, o que nos permite até dobrar o sapato ao meio. A parceria reforça a preocupação da marca com o comércio justo, incentivando parcerias e iniciativas que estimulem a economia local, no caso, em Caruaru (PE). Com valor de R$ 319, o modelo Auréola Oxford é exclusivo, unissex e produzido em quantidade limitada, com numeração a partir do 35.

O produto está disponível nas lojas físicas de Porto Alegre e São Paulo, e no e-commerce da marca (www.insectashoes.com) e o contato do SAC é feito pelo e-mail hello@insectashoes.com.

Serviço:
Insecta Shoes – Porto Alegre (RS) - Rua Gen. Lima e Silva, 1519 – Centro.
Horário de funcionamento: Segunda a sexta, das 11h às 19h, e sábado, das 10h às 18h.
Telefone: (51) 3095 1204

Insecta Shoes – São Paulo (SP) - Rua Artur de Azevedo, 499 – Pinheiros.
Horário de funcionamento: Segunda a sexta, das 11h às 19h, e sábado, das 10h às 18h.
Telefone: (11) 2667 8890
Sobre a Insecta Shoes:
Todo conceito da Insecta Shoes foi criado visando o estímulo ao consumo consciente e à sustentabilidade. A marca conta com seis linhas de calçados unissex, elaborados por meio da reutilização de roupas garimpadas em brechós ou tecido ecológico à base de garrafa pet reciclada, além de ter o solado produzido a partir do excedente reciclado da indústria de borracha. Com lojas em Porto Alegre, São Paulo e presente dentro do Instituto Inhotim, a marca busca de forma constante eliminar resíduos e substituir materiais por alternativas sustentáveis, não só nos calçados, mas em todos os aspectos do negócio. Mais informações em www.insectashoes.com.

Fonte e foto: Economídia

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Alteração de portaria de automonitoramento visa benefícios no licenciamento ambiental

Técnicos da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) se reuniram na manhã desta segunda-feira (26), no auditório da autarquia, para discutir modificações da Portaria Nº 151, que define diretrizes sobre o automonitoramento ambiental das atividades licenciadas pela Superintendência no estado do Ceará. “As mudanças na legislação beneficiarão principalmente o empreendedor, pois visa facilidade através do acesso online ao Sistema de Automonitoramento”, informou a técnica da Gerência de Análise e Monitoramento (Geamo), Denise Guilherme. 

Considerações gerais, definições, revisão dos conceitos, e o desenvolvimento dos artigos referentes ao sistema online do automonitoramento foram assuntos discutidos durante a reunião. Essas definições estão diretamente associadas ao processo de licenciamento ambiental. A portaria valerá para licenças vigentes ou em processo de renovação. “Trata-se de um projeto-piloto voltado para as condicionantes do licenciamento, facilitando o controle e monitoramento de todos os tipos de licença”, explicou Denise. 

Técnicos da Geamo, Diretoria de Controle e Proteção Ambiental (Dicop), Diretoria de Fiscalização (Difis) e Procuradoria Jurídica (Proju) integram o grupo de padronização da portaria da Semace. Estima-se que até o final desse ano o grupo conclua as atividades. 

Por Ana Luzia Brito

Teleférico de Barbalha: chegam primeiras estruturas para início das obras

O objetivo é desenvolver o potencial turístico da região e promover a interação das pessoas com o meio ambiente da Chapada do Araripe
Chegaram, nesta segunda-feira (26), as primeiras estruturas para montagem dos equipamentos referentes ao Teleférico de Barbalha. Com isso, o Governo do Ceará, por meio da Secretaria das Cidades e Secretaria do Meio Ambiente, dá início às obras do teleférico, a partir da reconstrução do antigo Hotel e da Estação de Partida, localizados na Vila do Caldas, em Barbalha.

O Teleférico de Barbalha é um projeto do Governo do Ceará e tem como objetivo desenvolver o potencial turístico da região e promover a interação das pessoas com o meio ambiente da Chapada do Araripe, possibilitando ações de educação, proteção, preservação e conservação do local.

Orçado em R$ 14 milhões, o equipamento interligará a Vila do Caldas ao Mirante do Cruzeiro, onde será possível contemplar o Vale do Salamanca, Centro Histórico de Barbalha, além de permitir uma vista privilegiada da encosta da Chapada do Araripe. A estrutura terá capacidade prevista para transportar 660 pessoas por hora.

O embarque se dará no antigo Hotel Balneário que será reconstruído, resgatando suas características arquitetônicas, para abrigar bilheteria, salão de exposição, café e centro administrativo do Teleférico. O acesso ao ponto inicial se dará pela rua Daniel Cordeiro das Neves, que foi recentemente urbanizada pela SCidades. Já a estação de desembarque será construída na área da Flona, com espaço para contemplação, observatório, mirante e passarela.

Todo o projeto foi concebido de maneira a ter o mínimo de impacto no ambiente natural, aproveitando os espaços de trilhas já existentes e terrenos descampados. O projeto ainda contará com borboletário, bromeliário e viveiro de mudas. O prazo previsto de conclusão das obras é de 365 dias a partir do seu início.

Fonte e foto: Ascom da SCidades

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Elsevier lança livro escrito por Professor da UNICAMP sobre gerenciamento de recursos hídricos

O Brasil concentra 20% das reservas de água do mundo, segundo dados do Banco Mundial. Apesar da abundância, o país tem sofrido nos últimos tempos com graves crises hídricas causadas pela estiagem, uso desordenado e pela má gestão: 37% da água produzida é desperdiçada pelas empresas de abastecimento, de acordo com o mesmo órgão.

Entre 2014 e 2016 o Estado de São Paulo viveu a pior seca dos últimos 80 anos. O Sistema Cantareira, responsável pelo abastecimento de nove milhões de pessoas na Capital e em dez municípios da região metropolitana, se esgotou, sendo necessário o bombeamento da água do chamado volume morto, reservatório de água situado abaixo das comportas das represas. 


Em meio às discussões sobre o uso e gestão consciente da água, a Editora Elsevier lança o livro Gerenciamento de Recursos Hídricos – Conceituação e Contextualização, escrito pelo Professor da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Antonio Carlos Zuffo. O autor foi coordenador do estudo de regras de operação do Sistema Cantareira durante a pior seca vivida em São Paulo e pela consultora em Recursos Hídricos Monica Soares Resio Zuffo.


O livro traz o que há de mais recente em pesquisa e discussão sobre gerenciamento destes recursos, além de contar com a nova legislação sobre Gestão e Uso dos Recursos Hídricos Nacionais. “É um livro importante para diversas áreas, como Engenharia, Política, Planejamento e Gestão das Águas, entre outras, já que ele se preocupa em não apenas trazer a legislação vigente, mas conceituar e contextualizar, com exemplos de gestão em diversos países do mundo, explicação sobre o clima, além de um estudo do caso do Sistema Cantareira”, ressalta o autor.


Gerenciamento de Recursos Hídricos – Conceituação e Contextualização é um livro atual, que também se destaca por possuir uma linguagem acessível, exercícios que ajudam a entender melhor o assunto, além de quadros-resumo e dicas.   

Fonte: DFreire Comunicação e Negócios

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Ambev doa efluentes tratados para a Cerâmica Tavares e reduz captação de água no rio Pacoti

A Cervejaria Ambev em Aquiraz trata 100% de seus efluentes e direciona cerca de 60% para a Cerâmica Tavares. A Olaria, por sua vez, deixa de captar água limpa da natureza, já que o recurso tratado pela cervejaria supre 100% do volume necessário para a produção da empresa na região de Itaitinga. A parceria entre as empresas existe desde 2014 e o volume de água tratada doado pela cervejaria para a olaria aumentou 42% no último semestre. “Criamos um ciclo sustentável, já que doamos à Olaria água dentro dos mais altos padrões de qualidade, perfeita para a produção. E a Cerâmica Tavares deixa de captar o recurso diretamente do rio Pacoti”, comenta Camila Marçal, Gerente de Meio Ambiente da Ambev em Aquiraz.

Fonte: AD2M Engenharia de Comunicação





Sustentabilidade - Natura Ekos apresenta novos benefícios com o potencial máximo de cada ativo da Amazônia

Criada há 16 anos com uma proposta pioneira, a linha é revitalizada a partir de novas pesquisas científicas

Natura Ekos apresenta, em setembro, a revitalização da linha de cuidados pessoais e perfumaria, com novos produtos, formulações e embalagens. A marca que melhor carrega os atributos da Natura revisou seu portfólio a partir da vocação natural dos bioativos da Amazônia, para desenvolver produtos que entregam benefícios cientificamente comprovados e promovem uma conexão dos consumidores com a natureza.

Os óleos e manteigas usados para desenvolver os produtos nos laboratórios da Natura são extraídos de sementes, polpas e folhassem o uso de processos químicos, o que mantém as propriedades funcionais das matérias-primas vegetais. Os bioativos de Pitanga, Maracujá, Açaí, Cumaru, Buriti, Andiroba, Castanha, Ucuuba e Murumuru proporcionam benefícios únicos e cientificamente comprovados para diferentes cuidados com o corpo, cabelos e perfumaria.

“Natura Ekos é referência em inovação e sustentabilidade há mais de 15 anos, com um modelo de negócios que gera e compartilha beleza e benefícios para todos os envolvidos - a floresta, a comunidade fornecedora, o consumidor e a empresa. Com esta revitalização, investimos em pesquisa e tecnologia para desenvolver produtos a partir dos bioativos puros da Amazônia que levem ao consumidor o máximo potencial de cada ativo”, explica Claudia Pinheiro, diretora de marketing de cuidados pessoais da Natura.
Entre as inovações, está a reformulação completa da linha de Buriti, que agora é formada por produtos de proteção solar, como o primeiro protetor solar em óleo da indústria brasileira. A nova linha aproveita o melhor do óleo de buriti, que possui altos índices de betacaroteno e propriedades antioxidantes. Outra novidade é o bioativo Cumaru, que apresenta às consumidoras uma colônia feminina com extrato aromático presente nas sementes dos frutos desta árvore nativa da Amazônia, com uma fragrância delicada, de notas quentes.

Os frascos de plástico utilizados no portfólio passam a ser desenvolvidos 100% a partir de material reciclado pós-consumo. As novas embalagens resultam em um reaproveitamento anual de 48 toneladas de papel e de seis milhões de garrafas PET que seriam descartadas após o uso, reduzindo a geração de resíduos.

Para cada benefício, um bioativo específico


Há mais de quinze anos, Natura Ekos pesquisa os benefícios proporcionados pela biodiversidade brasileira e, nesse relançamento, apresenta a vocação de cada ativo.“A revitalização da linha chancela cientificamente os atributos de cada bioativo. Temos um vasto horizonte de possibilidades ainda pela frente. Por isso, estamos sempre atentos a novas oportunidades que nossas pesquisas proporcionam e às necessidades dos consumidores”, explica Alessandro Mendes, diretor de desenvolvimento de produtos da Natura.

A partir do relançamento, os produtos são organizados de acordo com suas propriedades e suas características – perfumísticas e terapêuticas, leves e fluídas.

PITANGA – Símbolo da tropicalidade brasileira, a pitanga possui folhas que exalam um perfume suave. Delas, é extraído o óleo essencial de pitanga, que revela notas vibrantes e frescas e deixam a pele mais perfumada e radiante. Novo na linha, o Mousse Hidratante Desodorante Corporal Pitanga tem textura leve, hidratação por até 24 horas e ação desodorante, deixando a pele delicadamente perfumada com uma sensação incrível de frescor.

MARACUJÁ – O pé de maracujá possui flores grandes e vistosas, sendo uma das plantas mais exuberantes das florestas do Brasil. O óleo é extraído de suas sementes dos frutos, que antes eram descartadas pela indústria produtora de sucos e polpas. Possui propriedades emolientes com alta concentração de ácidos graxos essenciais que hidratam e acalmam a pele, suavizando as agressões externas. O Óleo Corporal Trifásico Maracujá possui textura levíssima que realça o tom natural da pele e a deixa macia e agradavelmente perfumada.

AÇAÍ – Símbolo de energia e vitalidade para a população amazônica, o açaí é importante fonte de renda para a comunidade local. O óleo de açaí é rico em fitoesteróis, que revitalizam a pele, deixando-a com aspecto saudável. A nova Polpa hidratante para mãos Açaí promove revitalização imediata e prolongada das mãos, com textura leve e rápida absorção, deixando as mãos macias e delicadamente perfumadas.

BURITI – Em suas pesquisas, a Natura encontrou no buriti altos índices de betacaroteno com propriedades antioxidantes, que ajudam a proteger a pele dos efeitos nocivos do sol e a desacelerar o fotoenvelhecimento.  Do fruto da palmeira do buriti, extraímos o óleo que deu origem ao Óleo Protetor Solar de Buriti FPS 30/UVA, com toque seco e que auxilia na hidratação intensiva da pele. Com textura macia e agradável,a Polpa Protetora Labial Buriti FPS15 protege os lábios contra raios UVA e UVB e hidrata por até 8 horas.O Sabonete Líquido em Óleo limpa suavemente e forma um filme protetor que evita a perda de água da pele. Excelente pós-sol, a Polpa Hidratante Desodorante Corporal Buriti completa a linha com textura leve e sedosa e evita o ressecamento da pele.

CUMARU – Novidade entre os bioativos de Ekos, o Cumaru é uma árvore bela e alta, nativa da floresta amazônica. De suas sementes, exala um perfume único de onde se obtém o extrato de Cumaru, que possui notas quentes e ricas. Ekos desenvolveu o Frescor Cumaru, que perfuma delicadamente,com uma assinatura feminina e envolvente.

CASTANHA – Considerada a rainha da floresta, a castanheira é fornecedora de uma das principais fontes de proteína das comunidades amazônicas, gerando sustento para animais e seres humanos. Em estudos desenvolvidos em laboratórios da Natura, constatou-se que o óleo da castanha, rico em ômega-6 e ômega-9, nutre profundamente a pele, estimulando a produção de proteínas estruturantes até as camadas mais profundas. O Leite Hidratante Corporal Castanha é síntese dos benefícios do bioativo: nutre e hidrata a pele profundamente, melhorando a elasticidade e a sensação de firmeza, com textura cremosa e aveludada.

ANDIROBA – A andirobeira é uma das árvores mais populares da floresta e guarda em suas sementes um óleo dourado, o remédio caseiro mais vendido em toda a Amazônia e popularmente conhecido pelo seu poder terapêutico. Rica em limonóides e terpenos, a andiroba recupera a pele e equilibra os mecanismos de defesa, sendo perfeita para delicadas massagens que são capazes de restaurar a pele. Pensando nesse efeito, Ekos traz o novo Gel-Creme Desodorante para Pernas e Pés Andiroba, que proporciona refrescância imediata, alivia a sensação de cansaço nas pernas e pés e, aliado à massagem, reduz o inchaço.

MURUMURU – Para os cabelos, com forte poder hidratante, há a manteiga de murumuru. Ela preenche as camadas mais profundas dos fios, com os ácidos graxos de cadeia curta, e alinham as cutículas capilares, com os ácidos graxos de cadeia longa, reconstruindo os fios na medida certa. A Manteiga Concentrada Murumuru promove o alinhamento das cutículas, devolvendo a elasticidade natural do cabelo, com sensação de maciez e hidratação profunda.

UCUUBA –A ucuuba é uma árvore da Amazônia muito procurada por sua madeira, utilizada para fabricação de cabos de vassoura e ripas de telhado, mas suas sementes guardam o que ela tem de mais precioso: uma manteiga leve e com alto poder de reparação da pele. A manteiga de ucuuba, com toque seco e rica em trimiristina, promove uma reparação profunda e estimula a produção de colágeno e elastina, componentes fundamentais da estrutura da pele. Esses benefícios estão presentes naManteiga Reparadora para corpo e áreas ressecadas Ucuuba, que promove hidratação por até 48 horas, com rápida absorção.

Os produtos estarão disponíveis para venda a partir do dia 9 de setembro, com os Consultores Natura, na Rede Natura e nas Lojas Natura em São Paulo – no Morumbi Shopping e Shopping Villa Lobos.

Modelo de Negócio Inclusivo e Sustentável

Por meio da parceria com comunidades da Amazônia fornecedoras dos bioativos, o modelo de negócios inclusivo e sustentável de Ekos contribui para a geração de impactos sociais e ambientais positivos. Ao mostrar que a floresta vale mais em pé do que derrubada, Ekos é a marca que melhor materializa em seus produtos os esforços do Programa Amazônia, criado pela Natura em 2011, com o objetivo de movimentar a economia de floresta em pé. Desde a implementação do programa, em 2011, até o primeiro semestre de 2016, o volume de negócios acumulado da Natura na Pan-Amazônia somou R$ 867 milhões.

Mesmo antes do lançamento, em 2015, dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), que fazem parte da agenda 2030 da ONU (Organização das Nações Unidas),Ekos já atuava em diversas frentes para fazer do mundo um lugar melhor para se viver. O modelo de negócios da linha contribui com 15 dos 17 ODS, especialmente para o Objetivo 15 (Vida na Terra). A Natura trabalha com associações e cooperativas que reúnem mais de 2 mil famílias de 32 comunidades, a maioria da Amazônia, buscando proteger, recuperar e promover o uso sustentável das florestas, detendo e revertendo a degradação da terra e a perda da diversidade.

Sobre a Natura
 

Fundada em 1969, a Natura é uma multinacional brasileira de cosméticos e produtos de higiene e beleza. Líder no setor de venda direta no Brasil, registrou R$ 7,9 bilhões de receita líquida em 2015, possui mais de 7 mil colaboradores, 1,9 milhão de Consultoras e operações na Argentina, Bolívia, Chile, México, Peru, Colômbia e França. Foi a primeira companhia de capital aberto a receber a certificação B Corp, em dezembro de 2014, o que reforça sua atuação transparente e sustentável nos aspectos social, ambiental e econômico. A estrutura da companhia é composta por fábricas em Cajamar (SP) e Benevides (PA), oito centros de distribuição no Brasil, um hub logístico em Itupeva (SP) e centros de Pesquisa e Tecnologia em São Paulo (SP) e Nova Iorque (EUA). Detém o controle da fabricante australiana de cosméticos Aesop, com lojas em países da Oceania, Ásia, Europa e América do Norte.  Produtos da marca Natura podem ser adquiridos com as Consultoras através da revista Espaço Natura, pela internet na Rede Natura rede.natura.netou por meio do app Natura. Para mais informações sobre a empresa, visite www.natura.com.br e confira os seus perfis nas seguintes redes sociais: Linkedin, Facebook, Twitter, Youtube e Instagram.


Fonte: Vertente Comunicação

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Mobilidade sustentável - SCidades investe R$1.558.781,01 na elaboração de planos de mobilidade urbana de Sobral, Coreaú, Forquilha e Aracati

Foi assinada pelo secretário das Cidades, Lucio Gomes, a ordem de serviço para elaboração de planos de mobilidade urbana dos municípios de Sobral, Coreaú, Forquilha e Aracati. O investimento é no valor de R$1.558.781,01, com prazo de execução de 10 meses.

A SCidades, através do Programa de Desenvolvimento Urbano de Polos Regionais - Vale do Jaguaribe/Vale do Acaraú (Cidades do Ceará II), fará a gestão técnica e financeira de todo o processo, além de acompanhar os estudos, análises e trabalhos de campo. Já os municípios envolvidos devem acompanhar os trabalhos de campo, disponibilizar dados e informações, mobilizar seu corpo técnico, apoiar a realização de audiências públicas, validar os produtos para posteriormente submeter ao legislativo o projeto de lei, instituindo o plano de mobilidade urbana do município.

A Secretaria das Cidades atua com o objetivo de modernizar a gestão municipal, dotando as prefeituras de instrumentos atualizados de planejamento e ordenamento de seu território, promovendo a mobilidade urbana sustentável que permita aos cidadãos o direito de acesso seguro e eficiente aos espaços urbanos, tendo como consequência direta a melhoria da qualidade de vida das pessoas, conforme estabelece a Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei Nº 12.587, de 03 de janeiro de 2012).


Fonte: Ascom da SCidades

Artigo - A saúde do planeta depende da preservação das árvores

Dedicar a data de 21 de setembro ao Dia da Árvore é uma forma de incluir em nossas agendas um momento para refletirmos sobre a importância das árvores em nosso cotidiano, juntamente com seu uso sustentável e também a preservação de florestas e biomas.

No entanto, uma das questões que ainda torna esse tema preocupante é saber que, em 2016, ainda nos deparamos com notícias a respeito do crescimento do desmatamento no país. Em junho deste ano, o Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), do Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), apontou que a Amazônia teve 972 Km² de florestas desmatadas, esse número representa um aumento de 97% em relação a 2015. O levantamento também apontou que os estados que mais desmataram foram: Pará (50%), Amazonas (27%) e Mato Grosso (12%).

Para reverter esses números e garantir a sobrevivência na Terra, a solução é investir em ações capazes de minimizar a degradação das áreas verdes. Um exemplo é o crescimento da valoração de serviços ecossistêmicos, considerando que todos os produtos hoje derivam, em algum grau, da transformação de matérias-primas originadas na natureza. Isso possibilita conservar recursos naturais que serão usados por gerações, ampliar o valor do patrimônio genético e contribuir para desacelerar o aquecimento global.

Nesse sentido, podemos destacar o trabalho realizado pela Beraca, que aposta em parcerias com comunidades de diferentes biomas do Brasil, principalmente o amazônico, e, por meio de treinamentos e capacitações, ensina que é possível extrair frutos e sementes da biodiversidade brasileira sem agredir o meio ambiente. Esses insumos naturais se transformam em matérias-primas para as indústrias de cosméticos, beleza e cuidados pessoais, que apostam no uso de ativos da biodiversidade em suas formulações em busca de produtos de alta performance.

Para exemplificar a eficiência dessa iniciativa, a Beraca realizou um estudo sobre o serviço ecossistêmico de regulação global, considerando as áreas de seus fornecedores que eram destinadas ao cultivo de cupuaçu em agroflorestal. O estudo constatou que se evitou a emissão de 7,3 mil/t CO2 e apoiou a regeneração de 75 hectares de floresta de um fornecedor, o que equivale a R$500mil em estoque de carbono gerado.

No Pará, uma universidade brasileira avaliou a cadeia produtiva do pracaxi e murumuru a pedido da Beraca e constatou que, em determinadas regiões, para cada 1 real investido no extrativismo sustentável, são retirados 3,6 reais da mão da obra em madeireiras ilegais. Somado a isso, temos também o aumento da eficiência de políticas públicas como o Seguro-defeso e a Bolsa Verde, que criam incentivos para colaborar nesse processo.

A proposta é que projetos como esse transformem a floresta em uma perpétua fonte de renda, ajude a preservar o meio ambiente, garanta uma fonte de renda extra e ainda tenha condições de restaurar a dignidade e a visão de melhoria de futuro dos moradores dessas regiões. Por isso, para combater o desmatamento, o primeiro passo é enxergar que qualquer espécie viva depende das árvores para garantir a sua sobrevivência.

Respeitar o meio ambiente é criar mecanismos que possibilitem o investimento no desenvolvimento social e na obtenção de lucros de forma consciente, é a união desses elementos que forma a base do tripé da sustentabilidade.

* Thiago Terada é Gerente de Sustentabilidade e Assuntos Corporativos da Beraca, líder global no fornecimento de ingredientes naturais provenientes da biodiversidade brasileira para as indústrias de cosméticos, produtos farmacêuticos e cuidados pessoais.

Fonte: Grupo Image

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Cerca de 100 imóveis por dia realizam seus cadastros rurais no CAR

No Ceará, cerca de 100 imóveis por dia realizam seus cadastramentos rurais no Sitema de Cadastro Ambiental Rural (SICAR). A estimativa é baseada no último boletim do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), referente ao mês de agosto, com o total de 57.568 propriedades cadastradas. O Governo do Estado, através da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) e Sema, mobiliza estratégias de implantação do sistema com meta de atingir o máximo de registros de 182 municípios cearenses que dispõem de área rural.

Em julho, a demanda atingiu 54.608 imóveis cadastrados no SICAR. O aumento desse resultado é consequência do trabalho desenvolvido pela equipe de técnicas da Diflo da Semace, e de demais técnicos dos escritórios regionais da autarquia, localizados em Sobral e Crato. Algumas estratégias têm como objetivo nivelar ações com os parceiros, dentre eles, SDA, Ematerce e Idace. A Semace, além de participar de atividades conjuntas, desenvolve ações focadas em 109 municípios, objeto do contrato com o BNDES.

Como parte dessas atividades, a Semace e parceiros que estão engajados na implementação do CAR no Ceará se reunirão no dia 20 de setembro, no auditório da Superintendência, para discutir sobre a realização de seminários regionais. No dia 30, a Semace deverá receber representantes do SFB para que a autarquia repasse o módulo de cadastros ao Idace relativo aos assentamentos estaduais.

CAR

O Cadastro Ambiental Rural é um registro eletrônico no âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, tendo como benefício a regularização ambiental das áreas degradadas do país, bem como criar uma base de dados completa sobre a situação ambiental. Com isso é possível criar estratégias para monitoramento e controle dos recursos naturais do Estado.

Os interessados em buscar informações ou agendar atendimentos podem entrar em contato com a Semace/Diflo, através do telefone 32648117, ou pelo e-mail duvidas.carce@semace.ce.gov.br. 


Por Ana Luzia Brito

Cagece disponibiliza simulador para nova meta da tarifa de contingência

A Companhia de Água e Esgoto do ceará (Cagece) disponibiliza em seu portal, a partir de hoje (19), um simulador de tarifa de contingência, ajustado à nova meta de consumo de 20%. A ferramenta permite que o cliente calcule a sua conta e saiba de forma detalhada o quanto irá pagar caso ultrapasse a meta de consumo.

Para acessar o simulador, basta acessar o portal da Cagece (www.cagece.com.br). Para simular a conta, o cliente deve informar o número de inscrição e o CPF ou CNPJ. Na sequência, o sistema mostrará ao cliente a sua meta de consumo baseada na tarifa de contingência. Logo abaixo, terá um campo a ser preenchido com o consumo do mês. Ao clicar no comando "simular", o cliente terá acesso ao valor da sua conta de água sem a tarifa, da conta de esgoto, do valor total excedente de água com a tarifa de contingência e por último o valor total.

Além da simulação, a página também oferece dicas de economia de água e respostas para perguntas frequentes. O sistema é interativo e possui janela com texto explicativo quando o cursor é colocado sobre qualquer campo.

Sobre a tarifa de contingência
A situação dos mananciais do Estado é crítica, em virtude do quinto ano consecutivo de seca, considerada uma das mais intensas dos últimos cem anos. Diante dessa realidade, está em execução um Plano de Segurança Hídrica (confira em: https://www.cagece.com.br/todospelaagua/plano-de-seguranca-hidrica/), que tem como umas das ações a revisão da meta da tarifa de contingência para 20%, ao invés dos 10% que vinham sendo aplicado desde dezembro de 2015. O objetivo é buscar manter o abastecimento de água à população de Fortaleza e RMF até a próxima quadra chuvosa, evitando assim os transtornos de um racionamento.

A nova meta da tarifa de contingência passou a valer em Fortaleza neste último domingo (18) e hoje (19) para a Região Metropolitana. A meta de consumo é estabelecida a partir da média anual, calculada no período de outubro de 2014 a setembro de 2015. Além do simulador, cada cliente tem acesso a sua meta na própria conta ou através da carta que está sendo entregue nos imóveis.                                                       
Saiba mais
A tarifa de contingência vigora para os clientes da Cagece em Fortaleza e RMF desde dezembro de 2015, com resolução das agências reguladoras, como parte das ações de enfrentamento à seca. A tarifa continua a mesma, com o mesmo mecanismo, tendo aumentado apenas a meta de economia, que passou de 10% para 20%. 

Serviço
Veja como usar o simulador:
Na página inicial do portal da Cagece (www.cagece.com.br), o cliente deve clicar na coluna "Serviços", localizada do lado direito, e em seguida na opção "Atendimento virtual", que irá abrir uma nova aba no navegador. Nesta, ele irá escolher a opção "Tarifa de contingência", que o levará a página do simulador.

Fonte: Ascom da Cagece

Sustentabilidade - Prátil instala placas de energia solar em duas sedes do Colégio José de Alencar



A Prátil, empresa de soluções da enel, concluiu a instalação de placas de energia solar nas sedes dos colégios José de Alencar – Baby e Junior, em Fortaleza. Ao todo, foram instalados 92 módulos com potência de 23,92 kWp.  Em um anos, a adoção do sistema de microgeração fotovoltaica representará 5,6 toneladas a menos de emissão de gás carbônico, o equivalente a 34 árvores plantadas. Além disso, gera economia de mais de 50,5 milhões de litros de água. 

O diretor-administrativo do colégio, Felipe Sampaio, justificou a escolha pela energia solar. “Como instituição formadora de pessoas, temos a preocupação de colocar o discurso em prática. Isso nos fez escolher essa forma de geração, que contribui com a sustentabilidade e o meio ambiente”. 

Sobre a Prátil 

A Prátil, uma empresa de soluções da Enel, é especializada na oferta de eficiência energética e energia solar no Brasil. Atua nas áreas de eficiência energética, infraestrutura elétrica e geração distribuída.  Projetos de geração distribuída com energia solar são algumas das principais iniciativas desenvolvidas pela Prátil. Desde 2013, a empresa atua neste mercado, tendo comercializado mais de 260 sistemas de energia solar em oito estados brasileiros.

Fonte: AD2M Engenharia de Comunicação

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Região do Inhamuns pretende atingir maior número de áreas cadastradas no CAR

A Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) continua o processo de articulação junto aos atores sociais, em âmbito estadual, para sensibilizar os proprietários e posseiros da necessidade de realizarem o Cadastro Ambiental Rural (CAR). No período de 13 a 16 deste mês, as técnicas da Diretoria Florestal (Diflo) da autarquia, Evaneida Peixoto e Telma Sampaio, encontram-se na região dos Inhamuns para realizar um levantamento de todas as entidades públicas, terceiro setor e entidades de classe comprometidas com a causa ambiental e desenvolvimento rural. 

Na ocasião, a Semace estabeleceu parceria com a Prefeitura Municipal de Tauá, através da Secretaria de Meio Ambiente Supermata, representada pelo secretário Rogaciano Oliveira, e Jorge de Moura (articulador do Pacto Ambiental dos Inhamuns e Sertão de Crateus-Parisc). Os órgãos articularam também integração com as secretarias de Agricultura, Ação Social e Educação, reafirmando o compromisso de dar todo o apoio necessário ao Governo do Estado para atingir o maior número de áreas cadastradas.

De acordo com a técnica da Diflo, Tereza Farias, a iniciativa resulta da continuidade de uma articulação iniciada em 2015 para elaboração de um projeto aprovado junto ao Fundo Amazônia e BNDES. "Nessa ação são priorizadas as sedes municipais onde serão instaladas bases de apoio para a execução do projeto", informou a agente da Semace.

Na região do Cariri, essas atividades vem se desenvolvendo continuamente pelos escritórios da Semace, por meio da articuladora Gerys Grangeiro, na região de Sobral, e nos demais municípios com área de intervenção do Projeto CAR-Ceará, pelas técnicas da Semace-Diflo, Evaneida Peixoto, Telma Sampaio e Edilene Queiroz. 

Por Ana Luzia Brito
Fotos: Jorge de Moura

Geopark Araripe comemora 10 anos com conferência, palestras e visitas aos geossítios

Será uma semana dedicada a uma década do projeto que mudou a forma de ver o Cariri 
Será iniciada na próxima segunda-feira (19), a programação de aniversário de 10 anos de criação do Geopark Araripe. Na ocasião, terá início conferência para tratar da temática do primeiro projeto do gênero nas américas, hoje referência internacional para a criação de outros geoparks. Uma exposição sobre o ‘Território do Geopark’ será aberta a partir das 8 horas, no Sesc do Crato, com visitações até o dia 24.

O evento será aberto às 19 horas, no auditório da sede do Geopark Araripe, com palestra do Reitor da Universidade Regional do Cariri (URCA), Professor Patrício Pereira Melo, consultor da Rede Global de Geoparks. Em seguida, acontece apresentação cultural. Pela segunda vez, foi anunciada a conquista do Selo Verde para o Geopark, que será entregue no próximo dia 22, na Riviera Inglesa, durante Congresso Internacional de Geoparks. O evento é uma forma de comemorar as conquistas e abordar temáticas importantes, referentes às multidisciplinaridades inseridas no contexto do Geopark Araripe.

A semana de comemorações também terá a presença do Geopark nas comunidades, iniciando, na terça-feira (20), com ações no Vale do Amanhecer, em Juazeiro do Norte, das 8 horas às 16 horas. No mesmo dia começa a rodada de palestras no auditório do Geopark Araripe, com o tema ‘O Importante papel das unidades de conservação: conhecer e participar’. Estarão fazendo parte desta mesa, a representante do sítio Fundão, Rose Mary Feitosa; do ICMbio, Verônica Lima, e, do Geopark Araripe/URCA, Yedda Lobo. Às 10 horas, será aberta a mesa sobre Patrimônio Natural: memória e construção, com os professores da URCA, Álamo Saraiva, Idalécio Freitas e Marcelo Moura Fé, diretor executivo do Geopark Araripe. À tarde, serão realizados minicursos e oficinas.

Durante sessão especial, ainda no dia 20, às 18 horas, haverá apresentação do Selo Comemorativo do Geopark Araripe, pelos integrantes do projeto de Design da Universidade Federal do Cariri (UFCA), Clairton Montenegro, Vanilson Carvalho e professora Fernanda Loss. Em seguida acontecem as mesas de debates com as temáticas sobre: ‘Você tem fome de quê? Economia Criativa e Solidária na região do Cariri’, com representantes da UFCA, Rede de Feiras Agroecológicas e Solidárias e do Geopark Araripe.

Na quarta-feira (21), acontece, durante o dia, as mesas de palestras, abrindo às 8 horas com o tema’ Água, pra quê te quero? Gestão e uso das águas no Cariri?’, ‘Qual o turismo que queremos no Cariri? Perspectivas’, minicurso e oficinas na parte da tarde, e palestra com o tema: ‘Cultura e patrimônio para todas as gerações’, às 19 horas, contando com a presença do cineasta Rosemberg Cariry, e Ana Isabel Cortez e Rubia Micheline, da URCA.

‘Viver de turismo no Cariri dá?’, será o tema da palestra inicia no dia 22, além de ‘O talento nato da arte popular’, fechando à noite, às 19 horas, com a temática ‘Nosso time vai ter os 11: Caldeirão da Santa Cruz e Santa Fé, com a arqueóloga Rosiane Limaverde, da Fundação Casa Grande e Instituto de Arqueologia do Cariri – URCA/IAC/FCG, Alemberg Quindins, da Casa Grande, além da Marcelo Martins, do Geopark Araripe.  À tarde haverá entrega de alimentos e brinquedos no IACC, em Barbalha, e AMA, em Missão Velha, além do dia ‘D’ de doação de sangue, no Hemoce, em Crato.

A semana dedicada aos 10 anos do Geopark Araripe, ainda contará com a programação ‘Geopark no mêi do mundo’, dias 23 e 24, com rotas sendo realizadas por todos geossítios, incluindo na parte leste, pela Colina do Horto e Cachoeira de Missão Velha, com almoço em Barbalha, e visita ao Riacho do Meio, a partir das 14 horas. No dia seguinte, a visitação acontece na parte oeste, no geossítio Ponte Preta, em Nova Olinda, e Pedra Cariri, em Santana do Cariri, passando pelo Museu de Paleontologia, Instituto de Arqueologia e Fundação Casa Grande.


Geopark Araripe: patrimônio da humanidade

Geoparque (ou geopark, em inglês) é uma marca atribuída pela Rede Global de Geoparques/Unesco, a uma área onde sítios do patrimônio geológico (geossítios) representam parte de um conceito notável de proteção, educação e desenvolvimento sustentável (geoturismo e desenvolvimento territorial).

O território do Geopark Araripe está localizado no sul do Estado do Ceará, faz parte da região denominada Cariri, no semiárido Nordeste do Brasil. O GeoPark Araripe está ligado à Urca e foi o primeiro geoparque das américas e hemisfério sul reconhecido pela Global Geoparks Network. É composto por nove geossítios que estão distribuídos em seis municípios da Região do Cariri: Batateiras (Crato), Pedra Cariri e Ponte de Pedra (Nova Olinda), Parque dos Pterossauros e Pontal de Santa Cruz (Santana do Cariri), Cachoeira de Missão Velha e Floresta Petrificada (Missão Velha), Riacho do Meio (Barbalha), Colina do Horto (Juazeiro do Norte).


Fonte: Assessoria de Comunicação da Urca

Acesa, Seuma e Abrasel discutem projeto que desburocratizará processos do setor de alimentação

Foi realizada hoje (16) reunião entre a Associação Cearense dos Profissionais de Segurança dos Alimentos (ACESA), Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (SEUMA) e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL) para discutirem sobre o Projeto de Facilitação para a Regularização Geral do Empresariado do Setor de Alimentação Fora do Lar.

Frente à isso, a ACESA e ABRASEL estão construindo o projeto "Abrasel Me Ajuda" - o manual tem o intuito de auxiliar na desburocratização dos processos e atender de forma completa aos aspectos exigidos evitando possíveis penalidades.


Em tempo, a Coluna Eco News acompanha a ação aguardando mais informações.

Fonte: jornalista Léo Capibaribe

Sustentabilidade - Natura faz a contabilidade ambiental de suas operações

Empresa é a primeira da América Latina a divulgar estudo que determina o valor financeiro do impacto de seus negócios no meio ambiente

A Natura é a primeira empresa da América Latina a contabilizar o impacto de seus negócios no meio ambiente e na sociedade, por meio da metodologia internacional de contabilidade ambiental (conhecida em inglês como “EP&L”, Ganhos e Perdas Ambientais). O estudo é uma análise profunda de todas as etapas de vida dos produtos da companhia, desde a extração da matéria-prima, passando por fabricação, transporte, uso e descarte dos materiais. A análise foi elaborada com consultoria técnica dos escritórios da PwC em Londres e em São Paulo, com base nos dados consolidados da Natura do ano de 2013.

Foram contabilizados o uso e a poluição da água, a emissão de gases de efeito estufa, a geração de resíduos sólidos, a emissão de poluentes no ar e o uso da terra. Para calcular os efeitos ambientais da atividade da Natura, a metodologia considera os tipos de insumos, o portfólio de produtos e as regiões onde eles são vendidos. Os impactos são mensurados a partir de cálculos com mais de 18 mil coeficientes.

O levantamento confirmou o impacto positivo de iniciativas adotadas pela Natura ao longo de sua trajetória, como a opção pelo uso de álcool orgânico na perfumaria e de ativos da biodiversidade amazônica em seus produtos. O programa Natura Carbono Neutro, implementado de forma inédita pela empresa em 2007 para diminuir suas emissões de gases do efeito estufa e compensar o que não for possível reduzir, também contabilizou positivamente.

O estudo é uma ferramenta de gestão pioneira, que irá balizar as decisões estratégicas da Natura para uma avaliação mais efetiva do Triple BottomLine. Este passa a ser o principal indicador para medir o impacto ambiental positivo da empresa em todos os elos da cadeia produtiva. “Com esse estudo, buscamos conhecer e detalhar os impactos ambientais gerados por nossas operações e definir estratégias para neutralizá-los”, diz José Roberto Lettiere, Vice-presidente Financeiro da empresa. “O conhecimento desses números é fundamental para alcançarmos nossa ambição de gerar impacto positivo nos âmbitos ambiental, social e econômico até 2050”.

Resultados

O estudo revelou que o impacto ambiental da cadeia da Natura – que compreende a extração de matérias-primas, a fabricação e o transporte dos produtos e o descarte das embalagens – foi estimado em R$ 132 milhões para 2013.

Esse impacto teria sido maior (equivalente a R$ 164 milhões) sem as medidas do Programa Carbono Neutro, que, desde 2007, revê os processos da empresa para reduzir as emissões de gases do efeito estufa e faz a compensação do que não foi possível reduzir. O impacto dos projetos de compensação, se considerado no cálculo da contabilidade ambiental, seria positivo em R$ 77 milhões.

O maior impacto nessas etapas se dá pelas emissões de gases do efeito estufa (59%), que já são compensados pela Natura por meio da contratação de projetos de reflorestamento, entre outros. Em seguida vêm a poluição atmosférica (14%), a poluição da água (11%), o uso da terra (8%) e o consumo de água (7%). 

No setor de cosméticos, a Natura é a primeira empresa no mundo a fazer uma análise de ponta a ponta em sua cadeia, incluindo a etapa de uso do produto. O estudo traz dados inéditos sobre este estágio, que depende do comportamento do consumidor. Conforme já era esperado, esta etapa é a de maior peso, pois produtos de higiene pessoal e cosméticos são, em grande parte, utilizados durante o banho. A etapa de uso representa um impacto adicional de R$ 455 milhões, mais do que o triplo das etapas ligadas diretamente à cadeia de negócios da Natura.

O maior impacto na etapa de uso se deve ao consumo de água direta e indiretamente – já que a energia para aquecimento da água do banho no Brasil é prioritariamente de geração hidrelétrica. A complexidade do cálculo considera até as particularidades da matriz energética das regiões onde os produtos são vendidos.

“Ao revelar esses números, criamos um nível de transparência extremamente importante para nossas redes de relações. A partir desse diagnóstico, queremos estabelecer um diálogo ainda mais franco e aberto com o consumidor”, diz Marcelo Alonso, diretor de sustentabilidade da Natura.

Fonte: Vertente Comunicação

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Prefeitura de Fortaleza viabiliza reforma no Parque Adahil Barreto



A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), e em parceria com a Construtora Marquise, vai devolver para a população o Parque Adahil Barreto reformado e revitalizado. A empresa está providenciando, sem custos para o Município, as obras de restauro da casa de administração e de outro espaço que será transformado em um Centro de Educação Ambiental, reforçando a vocação de escola viva que o Parque já possui. Além disso, a ponte que dá acesso ao Rio Cocó será reestruturada, possibilitando, futuramente, passeios de barco.

"O Parque Adahil Barreto foi regulamentado em 2014 com outros 23 parques urbanos da nossa Cidade. Agora, ele recebe a atenção necessária para garantir que nós, fortalezenses, possamos usufruir de todos os benefícios que ele pode nos oferecer. Parcerias entre poder público e a sociedade civil e iniciativa privada fortalecem a responsabilidade compartilhada, contribuindo para uma Fortaleza mais segura e mais gentil. É nisso que acreditamos!", destaca Águeda Muniz, secretária da Seuma.  

"A reforma do Parque Adahil Barreto é uma maneira que encontramos de retribuir à sociedade a confiança depositada no trabalho realizado pelo Grupo Marquise durante nossas mais de quatro décadas de atuação. Este ano, patrocinamos a primeira estação do Bicicleta Integrada, localizada ao lado do Terminal da Parangaba, e participamos da adoção da Praça Portugal, que foi entregue na última sexta-feira. São ações que mostram nossa preocupação com o bem estar da população de Fortaleza. O Parque Adahil Barreto, quando reformado, voltará a ser um espaço de convivência harmoniosa da cidade com seus habitantes", explica o presidente do Grupo Marquise, José Carlos Pontes.

O Parque Adahil Barreto já vem passando por uma série de transformações. Além de ganhar um novo parquinho infantil, segurança da guarda municipal pelo pelotão ambiental e melhorias na iluminação realizadas pela Prefeitura, o espaço, por meio da parceria com a  Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Ceará (Senac-CE) e o Serviço Social do Comércio Ceará (Sesc-CE), recebeu estruturas para a promoção de uma série de atividades, como recreação infantil, serviços de saúde, atividades esportivas e apresentações musicais; além de cursos profissionalizantes e intensificação da limpeza e manutenção do espaço que irá ocorrer inicialmente até o fim do ano.

Diversas outras iniciativas realizadas pela Prefeitura acontecem no Parque, como ações de educação ambiental, feiras de adoção de gatos, distribuição de mudas e plantios de árvores nativas e frutíferas.

Programa Adoção de Praças e Áreas Verdes
O objetivo do Programa de Adoção de Praças e Áreas Verdes, coordenado pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), é mais que  entregar locais de lazer, diversão e fruição da natureza à população, mas, sobretudo, estimular a cidade a pertencer à própria cidade, estimular seus moradores a cuidar e manter aquilo que é seu e pode proporcionar a eles novas formas de convivência, hábitos de vida mais saudáveis, outras maneiras de ocupar o espaço urbano. Dessa forma, o próprio programa, em si, é um incentivo à cidadania. Já participam da iniciativa 163 espaços, destes 93 já estão adotados e 70 estão em processo final de adoção.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Seuma

Iniciativa socioambiental da DIAGEO vence Prêmio FIEC - Desempenho ambiental na categoria "Integração com a Sociedade"

A DIAGEO recebeu na quinta-feira passada (8), o prêmio FIEC por Desempenho ambiental, na categoria "Integração com a Sociedade", com seu case de sucesso desenvolvido na YPIÓCA Industrial. prêmio, que destacou e reconheceu ações socioambientais de alto impacto, desenvolvidas por grandes empresas, anunciou seus vencedores em solenidade, no SESI – Barra do Ceará. 

A sustentabilidade e a responsabilidade social estão no cerne das operações da DIAGEO, que investe continuamente em avanços nessas áreas. No Prêmio FIEC – Desempenho ambiental deste ano, a empresa, dona da YPIÓCA® e líder mundial na produção e distribuição de bebidas alcoólicas premium, concorreu nas modalidades “Integração com a Sociedade”, com seu programa pioneiro de logística reversa do vidro, o Glass is Good, que recebeu o primeiro lugar entre as iniciativas da categoria, e pelo “Reuso de água”, por meio de ações que reduziram o consumo de água na ordem de 85% na operação da YPIÓCA Industrial e Agrícola.

Nelcina Tropardi, diretora de Relações Corporativas e Jurídico da DIAGEO, esteve presente no evento e recebeu a premiação das mãos do presidente da FIEC, Beto Studart. “A Diageo se orgulha em poder impactar positivamente a sociedade e o meio ambiente por meio de suas iniciativas e prioriza conduzir seus negócios de forma que garanta a sustentabilidade e preservação dos recursos naturais. Receber este prêmio foi muito importante para nós”, afirma.

O Prêmio FIEC – Desempenho ambiental não possui fins lucrativos, consistindo em um modelo de Honra ao Mérito às empresas que se destacaram, por meio de suas iniciativas socioambientais.

Sobre a Diageo

A Diageo é líder mundial na produção de bebidas alcoólicas premium, com uma coleção de marcas nas categorias de bebidas destiladas, vinhos e cervejas. O portfólio inclui marcas como Smirnoff®, Johnnie Walker®, Ypióca®, Guinness®, Baileys®, Cîroc®, Old Parr® e Tanqueray®, entre outras. A empresa possui um importante capítulo em sua história no Brasil com a aquisição de Ypióca, uma das marcas mais tradicionais de cachaças premium do Brasil, em 2012. A Diageo é uma empresa multinacional que opera em 180 países. As ações da companhia são negociadas na Bolsa de Valores de Nova Iorque (DEO) e na Bolsa de Valores de Londres (DGE).

Fonte: AD2M Engenharia de Comunicação

UTENSÍLIOS DE BAMBU FINLANDEK GARANTEM BELEZA E MAIS SUSTENTABILIDADE NA COZINHA

Para conferir ainda mais estilo à cozinha, Finlandek, marca exclusiva de artigos para casa do GPA, apresenta a Linha Nature, com utensílios de cozinha em bambu, tábua para corte, rolo para massas, colheres, espátulas, martelo e pilão para temperos. Com design moderno, os acessórios são mais ecológicos – uma vez que os produtos feitos integralmente de bambu contam com uma decomposição mais rápida no meio ambiente do que outros materiais – e não acumulam bactérias, prevenindo a contaminação dos alimentos. Algumas peças contam com detalhes coloridos em silicone que dão um toque de modernidade no ambiente.

Sobre Finlandek

Finlandek é a marca de artigos para o lar exclusiva do GPA. Com mais de mil produtos em seu portfólio, a marca conta com opções para todos os ambientes da casa. Os objetos são alinhados às últimas tendências de moda e decoração, mantendo sempre qualidade e custo-benefício. A coleção é renovada mensalmente e pode ser encontrada em todas lojas Extra Hiper do país, e parte do seu portfólio também nas lojas Pão de Açúcar. www.finlandek.com.br

Fonte: Divulga Ação